Lançamento: FutBolsa

Jogue como um técnico virtual e faça previsões para o Índice Bovespa, simulando times e partidas de futebol, competindo com outros técnicos humanos e robôs, utilizando as mais avançadas tecnologias de Inteligência Artificial para previsão do futuro.

Como funciona o FutBolsa?
O FutBolsa é uma plataforma inovadora, criada no laboratório de inovação da Trajecta, funcionando como um sistema de testes de tecnologias de previsão baseadas em Inteligência Artificial, unindo duas paixões brasileiras: o mercado de capitais e o futebol. Para isso, são simuladas partidas de futebol, utilizando técnicos humanos (traders, investidores, etc.) e robôs programados com machine learning, que aprendem a cada dia a prever melhor o movimento do Índice Bovespa.

Como funcionam os jogos?
A plataforma gera automaticamente o cruzamento de técnicos e times e a tabela de jogos, de forma que quanto mais sobe no ranking, mais difícil fica a competição. Cada partida envolve dois técnicos e seus times, onde cada um deve fazer uma previsão do Índice Bovespa antes do início do dia do pregão. Quanto mais próxima for a previsão da realidade, ou seja, o valor final do índice no final do dia, mais “gols virtuais” serão marcados pelo time, gerando um placar final de cada jogo. O resultado de cada jogo é analisado automaticamente pela plataforma FutBolsa, considerando o escore no ranking de cada técnico, com maior ou menor peso de acordo com a dificuldade apresentada pelo adversário.

Venha competir com outros técnicos!
A ideia inovadora do FutBolsa é criar um jogo de prever o futuro, onde você aprende de uma forma divertida a criar estratégias próprias e comparar elas com a de outros técnicos, que podem ser traders, investidores, etc. ou robôs com Inteligência Artificial criados na própria plataforma.

Como posso começar?
O FutBolsa está disponível apenas para assinantes, que recebem um login onde poderão acessar sua área interna (Painel de Controle), ajustando uma previsão de Índice Bovespa, na frequência que desejarem. Esse é o único ajuste necessário para o técnico assinante, uma vez que todo o resto é feito de forma automática pela plataforma. Os técnicos Assinantes podem acessar o histórico de suas partidas, bem como a programação de seus futuros adversários antes do pregão, ou ainda, conforme o plano escolhido, a previsão dos técnicos top de ranking antes de iniciar um novo pregão.

Posso testar antes de assinar?
Para exemplo online, faça login no campo do topo da página, utilizando o usuário ‘futbolsa’ e senha ‘futbolsa’ para logar como Plano Básico.

Mais informações em:  http://futbolsa.com.br

Anúncios

A ilusão dos dados como o ativo principal de Inteligência Artificial

A todo momento vemos artigos e análises trazendo a relevância dos dados, como o principal ativo da Tecnologia da Informação (TI).

Entretanto, minha visão é diferente.

Em primeiro lugar, penso que a própria TI passa por uma evolução para Tecnologia da Inteligência, como prefiro referir.

Sim, a inteligência é que é o principal ativo, e os dados já foram no passado, e cada vez mais serão apenas commodities.

Acredito que o erro de visão atual esteja no fato de que concentramos todas expectativas de inteligência sobre a inteligência de máquina, principalmente o aprendizado supervisionado.

Mas a Inteligência Artificial será cada vez muito mais que isso, pois vivemos uma era onde a criatividade e a inovação ganham força cada vez mais, e justamente o potencial de encontrar solução para que as máquinas sejam inteligentes no nível humano será cada vez menos dependente dos dados em si, como é exatamente o nosso caso.

Na verdade, estaremos migrando de uma capacidade do modelar nosso cérebro para modelar nossa mente, até mesmo com consciência artificial, o que muda completamente o jogo.

Dessa forma, para mim o verdadeiro ativo está na capacidade dos times de sua organização em criarem produtos realmente inteligentes.

E não vejo formas de fazer isso mais eficazes hoje do que investir em uma parceria desses times com as máquinas, envolvidos em projetos de Inteligência Artificial que realmente sejam o ativo digital, ou real state, se você preferir, que tanto as organizações buscam hoje.

____
Rogerio Figurelli – @ 2018-08-09

Zume Pizza utiliza robôs desde a produção até a entrega da pizza

O Softbank Vision Fund, um dos maiores investidores do mundo, pode investir de US$ 500 milhões a US$ 750 milhões na Zume Pizza, uma startup que traz robôs para a produção de pizza. Se realizado, esse será o maior investimento que a startup já recebeu.

Criada em 2015 por Alex Garden e Julia Collins, a Zume Pizza utiliza robôs desde à produção até a entrega da pizza – ela só termina de assar dentro do caminhão de entrega, que conta com fornos. O objetivo da startup é mudar o sistema de delivery e entregar uma refeição mais fresca aos consumidores – literalmente recém-saída do forno.

Na produção das pizzas, humano e robô trabalham lado a lado. Enquanto um humano abre a massa para a pizza e a coloca numa esteira, uma máquina dispensa a quantidade de molho de tomate necessária e o robô “Marza” o espalha com movimentos circulares. Então, um humano coloca o recheio de cada pizza e o robô “Bruno” a posiciona delicadamente no forno para pré-assar.

Quando um pedido é feito, a startup termina de assar a refeição durante o caminho até a casa do cliente, garantindo uma pizza quentinha e crocante. Os fornos acendem e desligam de acordo com um sinal remoto.”

https://conteudo.startse.com.br/startups/foodtech/taina/softbank-pode-investir-us-750-milhoes-em-startup-de-robo-que-faz-pizza/

AI technology is not just an experiment

“Most said the reason wasn’t that they wanted to keep their AI activities secret, but that they weren’t actually very far along and hence their projects were not worth discussing yet. They were doing lots of pilots, proofs of concept, and prototypes, but they had few production deployments. When they did have AI systems in production, most were machine learning-based systems that had been in place for many years. This is particularly true in financial services, where large-scale “scoring” has been used to evaluate customers for credit and potential fraud for well over a decade. Some said to us that they didn’t really consider these projects to be examples of AI — consistent with the common view of AI that it describes technology that is never really here yet. Others say that they have robotic process automation (RPA) implementations in place, but most are relatively small, and there is also debate about whether RPA is really AI or not.”
Moreover: https://sloanreview.mit.edu/article/the-problem-with-ai-pilots/

Algoritmos conscientes

O algoritmo pode tomar a decisão, mas a consciência, o controle e, acima de tudo, a responsabilidade permanece para seus autores, afinal, é apenas um software e máquinas que podem ser desabilitadas a qualquer momento, se realmente não está em conformidade.

No entanto, há um ponto difícil a ser abordado, que é a interpretabilidade, e qualquer padrão de viés, principalmente o que os autores do aplicativo não perceberam, pois o problema se torna muito mais complexo e talvez permita a falta de controle de resultados de IA.

Nesse sentido, acredito que por trás de muitos problemas após a última onda de inteligência artificial, incluindo todas as promessas fora da realidade, podemos escolher um lado bom, não apenas para a evolução da tecnologia na área, mas também para a nossa própria evolução.

Infelizmente, há – sem dúvida – o lado ruim, como não levar em conta aspectos como a responsabilidade para com as pessoas e a sociedade, considerando os méritos da parceria homem-máquina e quaisquer preocupações éticas que possam surgir do uso da IA ​​em uma organização.

Na verdade, o impacto da IA ​​ou de qualquer ciência cognitiva nos mercados depende não apenas de certos atores que adotam certas tecnologias, mas também da eficácia dessas tecnologias para as pessoas e a sociedade.

____
Rogerio Figurelli – @ 2018-07-09