Zume Pizza utiliza robôs desde a produção até a entrega da pizza

O Softbank Vision Fund, um dos maiores investidores do mundo, pode investir de US$ 500 milhões a US$ 750 milhões na Zume Pizza, uma startup que traz robôs para a produção de pizza. Se realizado, esse será o maior investimento que a startup já recebeu.

Criada em 2015 por Alex Garden e Julia Collins, a Zume Pizza utiliza robôs desde à produção até a entrega da pizza – ela só termina de assar dentro do caminhão de entrega, que conta com fornos. O objetivo da startup é mudar o sistema de delivery e entregar uma refeição mais fresca aos consumidores – literalmente recém-saída do forno.

Na produção das pizzas, humano e robô trabalham lado a lado. Enquanto um humano abre a massa para a pizza e a coloca numa esteira, uma máquina dispensa a quantidade de molho de tomate necessária e o robô “Marza” o espalha com movimentos circulares. Então, um humano coloca o recheio de cada pizza e o robô “Bruno” a posiciona delicadamente no forno para pré-assar.

Quando um pedido é feito, a startup termina de assar a refeição durante o caminho até a casa do cliente, garantindo uma pizza quentinha e crocante. Os fornos acendem e desligam de acordo com um sinal remoto.”

https://conteudo.startse.com.br/startups/foodtech/taina/softbank-pode-investir-us-750-milhoes-em-startup-de-robo-que-faz-pizza/

Anúncios

How will Blockchain assist the banks?

“Reasoning how this will be possible, the company that specializes in providing best-in-class market research and business intelligence across 6 key sectors, said that blockchain will assist in cost reductions in payment processing, reconciliation, treasury operations and compliance.

Juniper Research made this major FinTech tweet on 1st August based on their press release, stating: “#Blockchain deployments to save #Banks more than $27bn annually by 2030, with cost reductions not just in #Payments processing and reconciliation, but in treasury operations and compliance. #Fintech #Banking”

The research findings claim that there will be an 11% reduction in costs per on-chain transaction.

The company further stated: “Indeed, the research argued that in compliance, automation of identity/money-laundering checks, allied to capability of the blockchain to verify the digital identity of an individual, should enable savings of up to 50% of the existing costs base within a few years.”

However, the research also cautioned about the need to parallel-run blockchain-based services with legacy systems. This would ensure that ‘savings would not be realized for several years after initial deployment, with annual cost reductions not reaching $1 billion per annum until 2024’.”

Moreover: https://bcfocus.com/news/blockchain-banks-27bn-2030/20481/

Onde a mente é tudo o que importa

“A ciência comportamental, que lida principalmente com a ação humana, é um campo que está crescendo em todos os setores, do setor bancário à TI, da saúde à educação, precisando de profissionais. E com o fornecimento longe da demanda, esse é um bom momento para explorar o campo. “A ciência basicamente entra no funcionamento do cérebro e desmascara as teorias psicológicas mais tradicionais”, diz Dominic, cuja empresa, uma das primeiras a se aventurar no campo no país, trabalhou em vários projetos governamentais nacionais e internacionais. Em Mumbai, por exemplo, diz Dominic, foi um experimento científico comportamental que ajudou a reduzir o número de mortes durante a travessia de trilhos. “As formas tradicionais de dizer às pessoas que não cruzem não funcionam. Sugerimos que o governo adicionasse algumas linhas amarelas e as taxas de acidentes cairam em 75%”, diz Dominic. “A psicologia tradicional fala sobre a construção da consciência. Nossa teoria diz que todos esses problemas são causados por uma lacuna de conscientização. Como arquitetos comportamentais, inventamos maneiras de construir esse comportamento na natureza humana”, acrescenta.”
https://timesofindia.indiatimes.com/city/chennai/where-the-mind-is-all-that-matters/articleshow/64579390.cms

A tecnologia não é mais um facilitador, é a nova estratégia de negócios

“Com um olho no futuro imprevisível, eu humildemente diria a você que não temos o luxo de esperar, assistir e aprender antes de modernizar nossas próprias paisagens de TI para estarmos prontos para o futuro. O ritmo da jornada de modernização é ditado pela paisagem movediça da tecnologia e dos ecossistemas, mas a escolha de agir é nossa. Isso de muitas maneiras é o desafio da liderança de hoje. A tecnologia não é mais um facilitador para a estratégia de negócios, a tecnologia é a nova estratégia de negócios”.

Veja mais em: https://www.bloombergquint.com/markets/2018/05/27/dont-have-luxury-of-time-to-wait-learn-before-modernising-it-landscapes-nasscom-chairman-premji

Introdução ao futuro das máquinas: ascensão e queda da singularidade tecnológica

Dizem que é impossível prever o futuro. Na verdade ouvimos isso o tempo todo. Mas prefiro dizer que é – provavelmente – impossível prever o futuro com cem por cento de precisão.
Afinal, é importante termos consciência de que temos cada vez mais capacidade de avançar e evoluir em nossas previsões, principalmente com a evolução da Inteligência Artificial e, talvez, aquele que considero o seu maior benefício para a humanidade: a Sabedoria Artificial.
Acontece que, no caminho da evolução, sempre existem riscos. E na área de tecnologia, o mais conhecido deles atende pelo nome de Singularidade Tecnológica.
Cientistas renomados, como Vernor Vinge, Marvin Minsky, Hans Moravec, Max More e Raymond Kurzweil, a muitos anos apontam, de uma forma ou outra, para um futuro onde a inteligência artificial, ou de máquina, se você preferir, será tão superior à humana que entraremos em uma era de singularidade tecnológica, com total incerteza em relação ao nosso controle sobre ela.
No meu entender, o divisor de águas das previsões relacionadas à singularidade tecnológica está na medição e formulação correta de métricas para a sabedoria, seja ela humana ou das nossas máquinas.
Mas buscar uma equação para a sabedoria não é uma tarefa fácil, mas penso ser fundamental em uma Era dos Robôs, para melhor entendimento da capacidade da inteligência e consciência das máquinas, principalmente em comparação com a humana. E acredito que uma das grandes falhas de análise de inteligência artificial e capacidade de aplicação autônoma dela, como propõe a teoria da singularidade tecnológica, está justamente no fato de desconsiderar o nível de consciência em que ela é aplicada, que justamente, é uma das variáveis fundamentais de definição de sabedoria.

Veja mais em: https://www.amazon.com.br/Introdu%C3%A7%C3%A3o-futuro-das-m%C3%A1quinas-singularidade-ebook/dp/B071FYZ3NT/ref=sr_1_6?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1496870185&sr=1-6