Consciência Artificial Artificial: Como os robôs superam todos limites

Por mais que a Inteligência Artificial tenha evoluído nos últimos anos, ela ainda encontra vários limites quando comparada à capacidade de inteligência humana, principalmente em termos de execução de tarefas cognitivas mais complexas de serem ainda modeladas pelas nossas máquinas.
Entretanto, podemos utilizar essa força tarefa de inteligência humana para criar uma Inteligência Artificial Artificial, ou seja, uma espécie de automação e autonomia complementar a dos robôs, principalmente para modelos genéricos de propósitos complexos ou fora da capacidade da inteligência artificial.
Ou seja, como veremos mais adiante, se inserimos IAA, ou seja, Inteligência Artificial Artificial na solução de problemas inesperados complexos obviamente iremos resolver o problema, mas sem IA forte de verdade. Seria no caso uma IAFA, ou seja, Inteligência Artificial Forte Artificial. Entretanto essa pode ser uma solução progressiva que pode nos conduzir à solução do problema de Inteligência Artificial Forte, ou seja, automatizarmos cada vez mais as tarefas de IAA é esperado que, mais cedo ou mais tarde, os robôs tenham autonomia e consciência para criar modelos para os mais variados propósitos.
E da mesma forma que a IAA, proponho um tratamento para a Consciência Artificial Artificial, ou CAA. Afinal, é importante termos consciência de que temos cada vez mais capacidade de avançar e evoluir em nossas previsões, principalmente com a evolução da Inteligência Artificial e, talvez, aquele que considero o seu maior benefício para a humanidade: a Sabedoria Artificial.
Acontece que, no caminho da evolução, sempre existem riscos. E na área de tecnologia, o mais conhecido deles atende pelo nome de Singularidade Tecnológica.
Mas buscar uma equação para a sabedoria não é uma tarefa fácil, mas penso ser fundamental em uma Era dos Robôs, para melhor entendimento da capacidade da inteligência e consciência das máquinas, principalmente em comparação com a humana. E acredito que uma das grandes falhas de análise de inteligência artificial e capacidade de aplicação autônoma dela, como propõe a teoria da singularidade tecnológica, está justamente no fato de desconsiderar o nível de consciência em que ela é aplicada, que justamente, é uma das variáveis fundamentais de definição de sabedoria.
E, talvez, o caminho para uma Sabedoria Artificial seja traçado pelo domínio, passo a passo, dos modelos criados para tornar artificiais os processos humanos de Consciência Artificial Artificial, como proposto nesse livro.

Veja mais em: https://www.amazon.com.br/dp/B071JSNWZ6/ref=sr_1_2?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1496870185&sr=1-2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s